"Pequena história destinada a explicar como é precária a estabilidade dentro da qual acreditamos existir, ou seja, que as leis poderiam ceder terreno às exceções, acasos ou improbabilidades, e aí é que eu quero ver" (Julio Cortázar)


quinta-feira, 23 de julho de 2015

Meditação

Madeleine Alves

Os intrépidos anos
abruptos
dão lugar à solidez dos planos.

De pés a raízes
zarpam da árvore sementes aladas.

De cá
De lá
definham passados
os medos passados.

Há o Uno: 
multifacetado uno
multidesdobrado uno
multinterligado uno. 
Apenas uno - 
Húmus fértil de futuros puros.
Homem forte de gratia plena.

2 comentários:

Ailda Moreira Dos Santos disse...

Me vi nesse poema o passado me edificou para viver meu presente de forma leve, calma e acima de tudo festejada. Parabéns filha sua trilha é bela, li no calendário Maia que vieste para embelezar o mundo com sua arte. Assim seja. Beijos.

Madeleine Alves disse...

Obrigada, mãe, pelo belo comentário e pelas palavras!! A arte só faz sentido se pudermos gerar um espelho reflexivo para os espectadores, obrigada por ser a minha espectadora virtual mais atenta!! Beijos!