"Pequena história destinada a explicar como é precária a estabilidade dentro da qual acreditamos existir, ou seja, que as leis poderiam ceder terreno às exceções, acasos ou improbabilidades, e aí é que eu quero ver" (Julio Cortázar)


domingo, 9 de novembro de 2014

Rumos

Madeleine Alves



E quanto avistares o Novo Horizonte,
Não tema:
O Sol também brilha detrás do monte.

E quando avistares a Nova Aurora:
Não trema:
O Amanhã será melhor que o Agora.

E quando avistares o Novo Poente,
Não gema:
Há um poema que pulsa dentro da gente.

Nenhum comentário: