"Pequena história destinada a explicar como é precária a estabilidade dentro da qual acreditamos existir, ou seja, que as leis poderiam ceder terreno às exceções, acasos ou improbabilidades, e aí é que eu quero ver" (Julio Cortázar)


sábado, 22 de novembro de 2014

Route 66

Madeleine Alves

Não, não serás real
Tampouco ideal.
Talvez,
um olhar pela manhã
um relance pela tarde
um índice do tempo à noite.
Uma chama intensa
por inacessível
à qual recuso o chamado.
Obrigado.
O futuro alumbrado
demanda constância: 
deixarei a errância
pulsante da ânsia
plantar poentes
colher poemas.

4 comentários:

São Vicente Preto no Branco disse...

Nossa Mada, nunca tinha lido seus textos. Esse especialmente é lindo e intenso, adorei!!!

Madeleine Alves disse...

UAU!! Obrigada pelo comentário e pelos elogios, continue lendo o blog que têm mais tentativas de alma por essas páginas =) Beijos!

Ailda Moreira Dos Santos disse...

Mandou bem mais uma vez. Acho que o Caco Barcelos ficaria feliz. Super beijos.

Madeleine Alves disse...

Puxa, tomara!! Beijos!!