"Pequena história destinada a explicar como é precária a estabilidade dentro da qual acreditamos existir, ou seja, que as leis poderiam ceder terreno às exceções, acasos ou improbabilidades, e aí é que eu quero ver" (Julio Cortázar)


terça-feira, 29 de novembro de 2011

Diáfano difuso timorato


Madeleine Alves

Os olhos

Teus olhos

Aqueles olhos...


O verde descortina mistérios

códigos

códices

Dizem de estradas poentas

entradas cinzentas

e um corpo d’água em chamas

chamas

ao trocar dedilhos

e dois dedos de prosa

sob a intangível névoa do amanhecer.

Nenhum comentário: