"Pequena história destinada a explicar como é precária a estabilidade dentro da qual acreditamos existir, ou seja, que as leis poderiam ceder terreno às exceções, acasos ou improbabilidades, e aí é que eu quero ver" (Julio Cortázar)


sábado, 21 de julho de 2018

Celacanto

Madeleine Alves

Há uma pele morta que jaz
sobre a tez fugidia das horas.

Uma alma velha parte
para alhures;
uma ânima nova nasce
sob olhares

Vento versos inacabados
quebrados
como grito na garganta 
entalados.

Logo, todos ouvirão soar 
o velho novo canto
que não desistiu de sonhar!

Nenhum comentário: