"Pequena história destinada a explicar como é precária a estabilidade dentro da qual acreditamos existir, ou seja, que as leis poderiam ceder terreno às exceções, acasos ou improbabilidades, e aí é que eu quero ver" (Julio Cortázar)


quarta-feira, 14 de fevereiro de 2018

Em contra tempo

Madeleine Alves

Às vezes, devaneio
- muitas vezes
nos interstícios,
nos e's e ah's e hum's -
por vezes de entrecortados suspiros,
que há de vir tal vez
na qual não:
haja fuga
haja trampo
haja jóia
haja muda vontade
haja olhar inquisidor
haja tangente
haja paralelo
haja distância
haja estrada e mar e morro
haja peito ao chão
haja alma ao céu
haja prece
haja pressa
haja piada
haja post
haja passado que pesa
haja presente que cobra.

Então falaremos de nós - e apenas nós - de uma vez.

Nenhum comentário: