"Pequena história destinada a explicar como é precária a estabilidade dentro da qual acreditamos existir, ou seja, que as leis poderiam ceder terreno às exceções, acasos ou improbabilidades, e aí é que eu quero ver" (Julio Cortázar)


sexta-feira, 13 de setembro de 2013

Assobio

Madeleine Alves

Esqueço tudo o que sabia
sobre as rodas da bike, ligeira
Vestes ao vento, assobia
pássaro de canção brejeira
O trabalho, a mesa, assumia
com disposição de gerar geleiras
O trinado lá fora surgia,
quebrando a maça rotineira...

Esqueço tudo o que sabia
Sob o som do sabiá-laranjeira.

2 comentários:

Ailda Moreira Dos Santos disse...

Minha querida linda poesia pude sentí-la bem próxima de mim. Parabéns fiquei muito emocionada. Beijos.

Ailda

Madeleine Alves disse...

Obrigada, mãe, beijos!