"Pequena história destinada a explicar como é precária a estabilidade dentro da qual acreditamos existir, ou seja, que as leis poderiam ceder terreno às exceções, acasos ou improbabilidades, e aí é que eu quero ver" (Julio Cortázar)


domingo, 31 de agosto de 2008

Dissip/ânimus

Madeleine Alves


Enquanto você deixa o calor escapar por entre os dedos,

Eu desfaço os meus castelos de areia

E teço os cordéis de um futuro diferente.

Nenhum comentário: