"Pequena história destinada a explicar como é precária a estabilidade dentro da qual acreditamos existir, ou seja, que as leis poderiam ceder terreno às exceções, acasos ou improbabilidades, e aí é que eu quero ver" (Julio Cortázar)


quarta-feira, 4 de junho de 2008

Quem Explica?

Madeleine Alves


Eu me escondo atrás das sombras dos olhos de outrem.

Me escondo atrás de sua fala inconseqüente, de seus volteios, de seus risos e (in)certezas.

Eu me eclipso.




Por que será que toda a inteligência se esvai pela palavra - a semente do conhecimento?

Porque todo o insólito de suas vestes é obviamente imaterial e não há quem expresse essa Lua que me invade a pele e a consciência.

Apesar da eficácia de minhas "momices", da verborragia pontual no fim de cada frase, das análises perspicazes e do diploma de Psicologia que emoldura a parede à frente, admito ser um leigo na arte que me agita os nervos - mesmo contra minha vontade.


Pronto! Pode fechar a página e... apague a luz, por favor?

2 comentários:

Rodrigo Azevedo disse...

Este blog necessita de atualizações.

E tenho dito!

Mad elein e... disse...

CONCORDOOOOOOOOOOOOOOOOO!

Mas precisa também de MAIS COMENTÁRIOS!

E a dona dele atualmente precisa de UM EMPREGO!! =D

Valeu Rodrigo por postar sempre! =D