"Pequena história destinada a explicar como é precária a estabilidade dentro da qual acreditamos existir, ou seja, que as leis poderiam ceder terreno às exceções, acasos ou improbabilidades, e aí é que eu quero ver" (Julio Cortázar)


sexta-feira, 5 de novembro de 2010

Yin vê já


Madeleine Alves

Algumas sementes aladas voaram

Alguns olhos arregalaram-se

Algumas palavras foram ditas...


O ensurdecer do não-dito

A maldizer os esforços

de quem não dá ouvidos às amarras do não-posso...


As sementes só germinam quando o solo compreende que é preciso ser fértil nos bons nutrientes do Amor.

Um comentário:

DEBORA disse...

Conheci seu blog Mad! e gostei!
bjos